fbpx

O marketing jurídico digital se torna a cada dia mais popular, pois além de ser muito mais acessível do que o marketing jurídico tradicional (composto essencialmente por assessoria de imprensa e participações em eventos), ele ajuda:

Uma advogada digitando em um notebook, representando a importância do Marketing Jurídico Digital

  • Na qualificação;
  • Na hiper especialização;
  • Na consolidação de escritórios digitais;
  • Na expansão do alcance de escritórios;

Porém, alguns desafios se impõem aos advogados que querem iniciar seus projetos de marketing digital. Um dos principais desafios é o formato dos textos para ambientes digitais. Abaixo, listo algumas dicas extraídas da experiência de editoração de mais de 400 textos escritos por advogados para blogs.

DICA #1: Cuidado com as frases centopéicas ou labirínticas.

Frases centopéicas ou labirínticas, em uma definição bastante simples, são aquelas que “nunca acabam”. São um recurso linguístico muito ousado, raramente empregado com sucesso e efeito estilístico interessante. Em geral, causam confusão e dificuldade de compreensão da mensagem pelo leitor.

Aqui, no marketing jurídico digital, se o leitor não compreende o que leu, ele não conseguirá avançar nas etapas da jornada de fechamento de contrato. Por isso, é indispensável reler seu texto e reduzir as frases.

DICA #2: Use parágrafos curtos

O principal uso da internet é para leitura de mensagens instantâneas. Isso criou, no consumo digital, a tendência de “lermos em F”.

Ou seja: nos acostumamos a ler frases curtas, uma abaixo da outra, no lugar dos “blocos” longos de texto. Realizamos, na prática, uma espécie de escaneamento do texto. Um exemplo a ser observado é, exatamente, esta publicação.

Parágrafos com mais de 4 linhas geram um cansaço que impede a maioria dos leitores de chegar ao final do texto. A luminosidade das telas também influencia nisso, causando maior desconforto visual diante de textos longos.

DICA #3: Respeite o tempo do leitor e economize os “mentes”

Palavras terminadas em “mente” trazem um peso temporal no texto. Elas costumam ser longas. Parece bobagem, mas a ideia é facilitar a leitura de conteúdos que por si só já são bastante complexos e difíceis de processar.

DICA #4: Traduza o juridiquês para a linguagem do seu público

O grande desafio da publicidade é conseguir traduzir o que a empresa diz para o tipo de linguagem que o cliente fala. No marketing jurídico digital não é diferente: é indispensável falar de forma que o público-alvo compreenda.

Tenha em mente que você não está falando com seus pares ou com juízes. Você está falando com pessoas que possuem formações e experiências de vida muito diferentes da sua. Falar juridiquês pode significar atrair pares ou, até mesmo, munir os concorrentes com o conhecimento produzido no seu escritório.

No marketing Jurídico Digital, será ainda mais efetivo se você conseguir adaptar o seu texto para os jargões da profissão ou nicho social do cliente que almeja conquistar.

DICA #5: Blog não é petição, não é artigo acadêmico, mas também não é look do dia.

Não adianta escrever juridiquês ou manter um texto academicista no seu blog, mas o extremo oposto também não é efetivo. É indispensável encontrar um formato adequado às necessidades do seu público-alvo, mas sem prejudicar a credibilidade da informação que você está prestando.

Levar para o extremo coloquial pode causar má interpretações nos seus leitores, o que ocasiona problemas de atendimento, fechamento de contrato e pode gerar até reclamações nos conselhos de ética.

DICA #6: Adjetivos podem ser desqualificadores

Muito cuidado com os adjetivos escolhidos para não se auto-engrandecer. Além de ferir os princípios de ética, falar muito bem de si mesmo, sem fatos, prejudica a credibilidade do seu conteúdo. Se vender demais é visto com repulsa pela audiência e causa o efeito contrário ao esperado: o conteúdo passa a ser visto como “aproveitador”.

DICA #7: Dados são importantes, mas precisam de fontes.

A melhor forma de trazer credibilidade para o seu texto é através de dados concretos, apontando fontes. Você pode mostrar pesquisas ou fatos. Por exemplo, no início do texto mencionei que fiz a editoração (pauta e revisão) de mais de 400 textos escritos por advogados.

Esses textos podem ser encontrados aqui no blog da ADVBOX, em que defini pauta e revisei todas as publicações realizadas a partir de março de 2018, e no blog da Koetz Advocacia, em que fui editora de Novembro de 2013 até Dezembro de 2016.

Banner para clicar e fazer download do guia de primeiros passos para marketing digital para advogados


Katiussa Bitencourt

Katiussa Bitencourt é Jornalista formada pela UNISINOS, Pós graduada em Marketing Digital e especialista em marketing jurídico e político, sendo head das consultorias de marketing digital da ADVBOX e premiada juntamente com a Equipe ADVBOX Consultorias como Agência de Resultados  2018 pela Resultados Digitais.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *