trabalhador lendo documentos sobre a mesa em post sobre o que e clt
Direito

O que é CLT? Um guia com tudo que você precisa saber!

Você sabe o que é CLT? A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) é o diploma legal que rege as relações de trabalho no Brasil, tanto no setor urbano quanto no rural. 

Criada em 1943 pelo então presidente Getúlio Vargas, a CLT consolidou diversas leis trabalhistas dispersas em um único documento, representando um marco histórico na luta pelos direitos dos trabalhadores brasileiros. 

Neste texto, a ADVBOX vai te ajudar a entender o que é a CLT, sua importância e como ela influencia o dia a dia dos trabalhadores e empregadores no Brasil.

O que é CLT?

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) é um conjunto de normas que regula as relações trabalhistas no Brasil. A CLT é uma das legislações mais importantes do país, pois estabelece os direitos e deveres tanto dos empregados quanto dos empregadores. 

Ou seja, reúne e organiza as principais normas que regem as relações de trabalho no Brasil, tanto no setor urbano quanto no rural.

Assim, a CLT unificou diversas leis trabalhistas existentes até então, consolidando-as em um único documento. Seu objetivo principal é garantir condições dignas de trabalho, proteger os direitos trabalhistas e promover relações laborais justas e equilibradas.

Para quem se aplica a CLT? 

A Consolidação das Leis do Trabalho se aplica a diversas categorias de trabalhadores e empregadores no Brasil. Dessa forma, ela abrange tanto os trabalhadores urbanos quanto os rurais, regendo as relações laborais em diversos setores da economia. 

A seguir, estão algumas categorias para as quais a CLT se aplica:

  • Empregados contratados por empresas privadas;
  • Empregados do setor público;
  • Empregados domésticos;
  • Trabalhadores rurais;
  • Trabalhadores autônomos e profissionais liberais.

1. Empregados contratados por empresas privadas

A CLT se aplica a empregados que trabalham para empresas privadas, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte, em diversos setores da economia, como indústria, comércio, serviços, entre outros.

2. Empregados do setor público

Embora a CLT seja mais abrangente para o setor privado, parte de suas disposições também se aplica aos empregados do setor público. No entanto, se pode reger os servidores públicos estatutários e ocupantes de cargos públicos por estatutos próprios.

3. Empregados domésticos

Além disso, a Consolidação das Leis do Trabalho também se aplica aos empregados domésticos, estabelecendo direitos e deveres tanto para os trabalhadores quanto para os empregadores.

4. Trabalhadores rurais

A CLT abrange os trabalhadores rurais, garantindo, assim, seus direitos e estabelecendo condições mínimas de trabalho no campo. No entanto, algumas disposições específicas para o trabalho rural podem ser regulamentadas por legislação complementar.

5. Trabalhadores autônomos e profissionais liberais

Embora a CLT não se aplique diretamente a trabalhadores autônomos e profissionais liberais, ela pode ter influência indireta em algumas situações. Especialmente quando esses profissionais contratam serviços ou são contratados por empresas regidas pela CLT.

É importante observar que a CLT estabelece padrões mínimos para as relações de trabalho, mas as convenções coletivas e acordos individuais podem estabelecer condições mais favoráveis aos trabalhadores. 

Além disso, a Consolidação das Leis do Trabalho também pode ser complementada por legislações específicas para determinados setores ou categorias profissionais.

Qual é a estrutura da CLT?

A CLT é composta por 9 títulos, subdivididos em capítulos e artigos, que abrangem diversos aspectos das relações de trabalho, como:

  • Título I – Das Normas Gerais de Direito do Trabalho;
  • Título II – Do Contrato Individual de Trabalho;
  • Título III – Do Contrato de Trabalho por Tempo Determinado;
  • Título IV – Do Contrato de Trabalho Temporário;
  • Título V – Do Serviço de Empregada Doméstica;
  • Título VI – Da Aprendizagem;
  • Título VII – Da Segurança e da Medicina do Trabalho;
  • Título VIII – Da Organização Sindical;
  • Título IX – Do Processo Judiciário do Trabalho.

1. Título I – Das Normas Gerais de Direito do Trabalho

Define princípios fundamentais, como a irredutibilidade do salário, a proteção do trabalho da mulher e do menor, a liberdade de associação profissional, entre outros.

2. Título II – Do Contrato Individual de Trabalho:

Estabelece as regras para a formação, alteração e extinção do contrato de trabalho, incluindo jornada de trabalho, salário, férias, horas extras, FGTS, etc.

3. Título III – Do Contrato de Trabalho por Tempo Determinado

Dispõe sobre as regras específicas para contratos com prazo determinado, como sazonalidade e obras certas.

4. Título IV – Do Contrato de Trabalho Temporário

Regulamenta o trabalho temporário, realizado por empresas especializadas para atender necessidades temporárias das empresas contratantes.

5. Título V – Do Serviço de Empregada Doméstica

Estabelece as normas específicas para o trabalho de empregadas domésticas, incluindo jornada de trabalho, salário, descanso semanal remunerado, etc.

6. Título VI – Da Aprendizagem

Define as regras para a contratação de aprendizes, visando à formação profissional de jovens.

7. Título VII – Da Segurança e da Medicina do Trabalho

Estabelece medidas para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores no ambiente de trabalho.

8. Título VIII – Da Organização Sindical

Dispõe sobre a organização e o funcionamento dos sindicatos, tanto de trabalhadores quanto de empregadores.

9. Título IX – Do Processo Judiciário do Trabalho

Regulamenta os procedimentos para a resolução de conflitos trabalhistas na Justiça do Trabalho.

Quais os principais pontos regulados pela CLT?

A saber, aCLT é fundamentada em princípios que visam proteger os direitos dos trabalhadores e promover a justiça social. Nesse sentido, alguns dos principais pontos regulados pela Consolidação das Leis do Trabalho, incluem os explicitados a seguir.

1. Contrato individual do trabalho

O contrato individual de trabalho é regulado pela CLT, que estabelece, desse modo, as condições essenciais para a relação entre empregado e empregador. Assim, isso inclui a descrição das atividades a serem realizadas, a remuneração, a jornada de trabalho, os benefícios e as responsabilidades de ambas as partes.

2. Jornada de trabalho

Além disso, a CLT estabelece limites para a jornada de trabalho, definindo o número máximo de horas diárias e semanais que um empregado pode trabalhar. Além disso, ela regula o pagamento de horas extras e estabelece os intervalos obrigatórios durante a jornada de trabalho.

3. Remuneração

Por outro lado, a Consolidação das Leis do Trabalho define os critérios para o pagamento de salários, adicionais, comissões e outros benefícios financeiros aos trabalhadores. Assim, ela estabelece os direitos dos trabalhadores em relação à remuneração e prevê penalidades para o não pagamento ou atraso nos salários.

4. Salário mínimo

Um dos princípios fundamentais da CLT é garantir que todo trabalhador receba um salário mínimo digno. Por isso, o salário mínimo é fixado pelo governo e serve como base para o pagamento dos funcionários. Ele é revisado periodicamente para acompanhar a inflação e as mudanças nas condições econômicas do país.

5. Férias

A CLT garante o direito a férias remuneradas para os trabalhadores após completarem um ano de serviço. Assim, ela estabelece a duração das férias, o período de concessão, o pagamento do adicional de um terço sobre o salário e outras questões relacionadas.

6. 13º Salário

O décimo terceiro salário, também conhecido como gratificação de Natal, é um benefício obrigatório previsto pela CLT. Ele consiste no pagamento de um salário extra no final do ano, equivalente a um salário mensal, com o objetivo de, dessa forma, auxiliar os trabalhadores nas despesas típicas do período, como as despesas de fim de ano.

7. Segurança e medicina do trabalho

Por outro lado, a CLT estabelece normas e medidas para garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores no ambiente laboral. Dessa forma, inclui a obrigatoriedade de fornecer equipamentos de proteção individual (EPIs), realizar exames médicos periódicos, prevenir acidentes de trabalho e garantir condições de trabalho adequadas.

8. Rescisão de contrato de trabalho

Além disso, a Consolidação das Leis do Trabalho regula os procedimentos e direitos envolvidos na rescisão do contrato de trabalho, seja por iniciativa do empregado ou do empregador. 

Ou seja, define os tipos de rescisão, os prazos para pagamento das verbas rescisórias, como aviso prévio, férias proporcionais, 13º salário proporcional e outras indenizações devidas.

9. Direitos e deveres

Por fim, a CLT estabelece os direitos e deveres tanto dos empregados quanto dos empregadores, buscando equilibrar as relações entre as partes. Isso inclui direitos como licença maternidade, licença paternidade, garantias de emprego em casos específicos, entre outros.

Esses são apenas alguns dos principais pontos regulamentados pela CLT. A legislação também aborda questões como trabalho de menores, trabalho noturno, repouso semanal remunerado e aposentadoria. 

Ainda, aborda sobre auxílio-doença, seguro-desemprego, direitos sindicais, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) entre outros aspectos fundamentais das relações de trabalho.

Qual a importância da CLT para a sociedade?

A CLT contribuiu significativamente para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária no Brasil. Ao longo dos anos, a CLT foi fundamental para:

  • Melhorar as condições de trabalho: estabeleceu limites para a jornada de trabalho, garantiu o pagamento de horas extras e insalubridade, e promoveu a segurança no ambiente de trabalho;
  • Reduzir as desigualdades sociais: instituiu o salário mínimo, as férias remuneradas e o 13º salário, proporcionando melhores condições de vida para milhões de trabalhadores brasileiros;
  • Promover a justiça social: garante o acesso à justiça gratuita para trabalhadores que tiveram seus direitos violados, assegurando a defesa de seus interesses.

Quais as atualizações e reformas na CLT?

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), é um marco histórico na proteção dos direitos dos trabalhadores no Brasil. Ao longo dos anos, a CLT passou por diversas atualizações e reformas para se adaptar às mudanças na sociedade e no mercado de trabalho.

Em 2023, a CLT passou por uma nova reforma, a Lei nº 14.567/2023, que introduziu diversas mudanças na legislação trabalhista, como as mostradas a seguir.

1. Flexibilização da Jornada de Trabalho

  • Jornada 12×36: possibilidade de acordar individualmente a jornada de trabalho de 12 horas por dia, com 36 horas semanais, mediante pagamento de horas extras com adicional de 50%;
  • Banco de horas: ampliação do limite do banco de horas para 12 horas por dia, com compensação em até 18 meses;
  • Teletrabalho: regulamentação do teletrabalho, com a definição de direitos e obrigações para empregadores e empregados.

2. Terceirização

  • Ampliação da terceirização: permissão da terceirização de todas as atividades da empresa, inclusive as atividades-fim, sem restrições.

Trabalho Intermitente

  • Novas regras: alteração das regras do trabalho intermitente, com a criação de diferentes modalidades e a definição de um período de referência para o cálculo da remuneração.

Outras Mudanças 

  • FGTS: criação de novas modalidades de saque do FGTS, como para a compra de imóveis e para o pagamento de despesas com educação;
  • Seguro-desemprego: alteração das regras para o recebimento do seguro-desemprego, com a redução do tempo de carência e a criação de novas modalidades;
  • Desjudicialização das relações de trabalho: Criação de mecanismos para a resolução de conflitos trabalhistas fora da Justiça do Trabalho, como a arbitragem e a mediação.

A reforma trabalhista de 2023 gerou diversos debates e controvérsias. Alguns defendem que as mudanças modernizaram a legislação trabalhista e a tornaram mais flexível, enquanto outros argumentam que as reformas fragilizaram os direitos dos trabalhadores.

Em suma, a Consolidação das Leis do Trabalho é muito mais do que um conjunto de normas jurídicas; é um reflexo das transformações históricas, sociais e econômicas do Brasil. 

Portanto, para os advogados que atuam no campo do Direito do Trabalho, a compreensão da CLT é essencial para garantir a proteção dos direitos dos trabalhadores e a promoção da justiça nas relações laborais.

Mais conhecimento para você!

Por aqui estamos sempre abordando assuntos quentes e relevantes para os profissionais do Direito. Confira outros textos que também podem te interessar:

Alta produtividade na advocacia
Como criar o setor comercial do seu escritório de advocacia? Confira 7 dicas!
Software Jurídico: 17 critérios fundamentais para encontrar o melhor!
O que é a Controladoria Jurídica e como funciona
Escritórios com filiais, correspondentes e parceiros fixos
Advocacia baseada em dados
Automatize a produção de suas petições
Autor
Comunicação & Conteúdos

Equipe ADVBOX

Postagens Relacionadas