fbpx

As graduações brasileiras, por maior que sejam suas qualidades e referências acadêmicas, acabam pecando no sentido do Direito como negócio. Provavelmente porque grande parte dos estudantes pretende orientar sua carreira aos cargos públicos, mas a verdade é que o empreendedorismo no Brasil é crescente nos mais diversos setores, inclusive no Direito. Por isso, listamos algumas informações importantes que você deve ter em mente ao abrir um escritório de advocacia.

Pensar a longo prazo para abrir um escritório de advocacia

Para abrir um escritório de advocacia você precisa de planejamento. Provavelmente você abrirá a empresa sem um plano de negócio detalhado. Isso é bastante comum. Porém, aos poucos a necessidade de planejar os próximos passos vai se tornando cada vez mais necesária. Mas por onde começar?

O melhor caminho para um bom planejamento é a partir de dados concretos. Medir a produtividade sua e da equipe, ter expectativa de honorários a receber, se orientar para uma hiperespecialização e claro, reduzir o tempo de trabalho gasto com burocracia a fim de focar em tarefas mais estratégicas são pontos fundamentais para esse planejamento.

Além disso, também é importante criar um planejamento de longo prazo, pensando em 2 ou 3 anos para frente. Depois disso, você pode fazer planejamentos táticos, organizando tarefas e ações específicas.

Cadastro de clientes atualizado e organizado

O cadastro é importante por vários motivos. Em primeiro lugar, você pode precisar entrar em contato com seu cliente com urgência. Se não houver empenho em manter o cadastro atualizado, essa necessidade pode se tornar uma enorme dor de cabeça.

Além disso, o cadastro dos clientes permite fazer análises de direitos que eles possuam e não saibam. Quantas vezes um problema é envolto de inúmeros outros no Direito? Um cadastro completo permite uma análise completa.

Finalmente, o bom cadastro do cliente permite que seu relacionamento com ele seja melhor. Com o enorme acúmulo de responsabilidades que abrir um escritório de advocacia traz é possível que você esqueça informações importantes sobre quem é mais importante para esse negócio: O cliente.

Assim, o cadastro permitirá que sempre que você precisar falar com os clientes, verifique os dados e não cometa gafes de atendimento.

Foco e especializações

Caso você deseje abrir um escritório de advocacia em uma cidade com mais de 15 mil habitantes, é fundamental se especializar. Cidades menores requerem advogados mais generalistas para se manter, além de proporcionar um contato mais aproximado e uma certa fidelização do cliente. Porém, em cidades grandes a concorrência é enorme, então você precisa se diferenciar.

Em um primeiro momento indicamos a especialização, mas acreditamos que o futuro da advocacia é para os hiperespecialistas. O que isso quer dizer?

Saiba tudo sobre algumas matérias específicas da área do Direito na qual você atua. No início é comum aceitar todos os casos de Direito empresarial, trabalhista, tributário, cível ou de outra área que mais lhe interesse. Porém, com o tempo algumas mudanças serão necessárias para a expansão do negócio. Por isso sugerimos que você se aprofunde ainda mais em questões específicas dentro dessa área.

Público-alvo

Partindo do item anterior, mesmo que em um nível de especialização por área do Direito, você precisa identificar o perfil dos clientes em potencial. Isso vai se combinar com o cadastro completo dos seus clientes. Por quê?

Bem, não basta identificar o problema jurídico. Seria muito simples e pouco ajudaria na compreensão das dores dos seus clientes. Você precisa entender mais sobre a pessoa ou personificação da empresa que atende. Como é a sua rotina? Quais são as coisas que a comovem? Quais são os problemas não necessariamente relacionados à questão jurídica que essa pessoa ou empresa

Entender o psicológico, a rotina e os diversos elementos que compõem o universo do seu cliente em potencial é essencial para cativar e trazer soluções diferenciadas para os clientes.


Alan Vital

Alan Vital é Advogado e Programador Front End, com Pós graduação em Direito Digital e Compliance, especialista em Marketing Jurídico e Gestão de Escritórios Digitais, além de membro de comissões da OAB e da Jovem Advocacia. Consultor da ADVBOX e proprietário e criador do Aplicativo AVALIAJUS.