landing page

Landing page: por que você deveria criar a sua?

Muitos poucos advogados sabem o que é uma landing page e como isso pode ajudá-los a atrair mais clientes. Muito utilizadas em diversos nichos, principalmente para a venda de infoprodutos, elas podem ser usadas por profissionais para chamar a atenção do público sobre os seus serviços.

Fazer uma landing page jurídica, mesmo que não seja simples, não é difícil. Contudo, é preciso ter atenção para não ferir o Código de Ética e ter problemas por isso. 

O advogado que consegue fazê-la de forma eficiente pode obter bons resultados. Por isso, aproveite a leitura desse artigo para entender o que é uma landing page e como ela pode lhe ajudar a atrair mais clientes!

O que é uma landing page?

Uma landing page (LP), é uma página criada para converter visitantes. Em inglês, o seu significado é página de aterrissagem, mas elas também são chamadas de páginas de captura, visto que o objetivo é fazer com que o visitante tome a atitude mencionada na LP.

Grande parte delas traz poucos elementos, como um título chamativo, um texto, uma call to action e um botão ou formulário, garantindo, assim, a conversão desejada. 

Você mesmo já deve ter tido contato com diversas landing pages. Por exemplo, quando entramos em um site e vimos um ebook gratuito para ser baixado, geralmente clicamos em um link que nos leva a uma LP para colocar nosso nome e e-mail. 

As landing pages também podem ser longas e cheias de informações, como nos casos dos cursos online, por exemplo.

O objetivo é sempre o mesmo: converter. Seja para levar a pessoa a adquirir algo gratuito, comprar um produto ou entrar em contato, a LP deve ser elaborada de forma a instruir o visitante a realizar a ação desejada.

Para que serve uma landing page?

Os advogados possuem diversas maneiras de atrair pessoas e torná-las clientes. Uma das formas mais utilizadas é o site e o blog. Ao ler um artigo que explica o que o leitor deseja, ele pode entrar em contato caso tenha gostado do que leu. 

As redes sociais também podem ser utilizadas para atrair. Muitos entregam conteúdos educativos que podem ser vistos pelos internautas, que podem entrar em contato caso a postagem seja a respeito de algum direito que acreditam ter.

Diante disso, por que criar uma landing page se essas estratégias já existem e podem ser eficientes?

Imagine a seguinte situação: o site, o blog e as redes sociais do seu escritório atraem muitos visitantes todos os meses. Contudo, mesmo tendo muitos acessos, você não consegue levá-los ao próximo passo, que é fazê-los caminhar no funil de vendas em direção à compra. 

Embora essas visitas ao site sejam um bom sinal, na prática, elas, por si só, não trazem resultados para o seu negócio. 

Para mudar esse cenário, você pode criar uma ou algumas landing pages para atrair a atenção do usuário, colocando apenas informações essenciais para que ele se convença e tenha o interesse de realizar a ação, que pode ser entrar em contato para saber mais sobre o serviço e contratar, na maioria dos casos. 

Entende agora como isso pode ser interessante?

Qual é a diferença entre uma landing page e um site?

Algumas pessoas podem achar que site e landing page são sinônimos. Contudo, são completamente diferentes. 

A landing page é uma página com o objetivo de converter os visitantes em leads, ou potenciais clientes. Por outro lado, o site é a porta de entrada da sua advocacia no mundo virtual. Logo, ele oferece mais informações para o seu público, como: áreas de atuação, horário de atendimento, endereço, dentre outros. 

Na sua estratégia de marketing jurídico, é essencial que você tenha um site para divulgar informações sobre o seu escritório. As LP podem ser divulgadas em locais estratégicos do site, em artigos do blog e até por meio de estratégia de tráfego pago com o Google Ads

landing page

Quais são os tipos de landing pages?

Existem diversos tipos de landing page e é importante que você conheça cada uma delas para garantir que a sua estratégia de marketing funcione e ela consiga atingir o objetivo desejado. 

Desse modo, o seu escritório pode utilizar mais de uma LP e determinar qual o tipo que deve ser utilizado para obter boas conversões. 

Uma landing page eficiente pode ser o segredo para que o seu escritório se destaque, atraia mais clientes e maximize os lucros, mesmo que seja feita com poucos recursos. 

Veja abaixo os tipos de páginas de aterrisagem que existem e quando cada uma delas pode ser utilizada.

Landing page de captura de leads

Esse tipo de página pode ser uma alternativa para quem deseja prospectar potenciais clientes. O seu escritório pode elaborar uma LP para capturar informações desses visitantes, como: nome, e-mail, telefone e profissão, dentre outros dados importantes e em troca, oferecer um conteúdo gratuito, como um ebook. 

Dessa forma, o seu escritório pode utilizar esse tipo de página para aumentar a lista de e-mails, de modo a realizar estratégias de e-mail marketing, por exemplo. 

Squeeze landing pages

Essa landing page é a mais simples de todas. Ela é muito utilizada para fazer com que o usuário realize a ação que o escritório deseje. 

Ela pode ser elaborada para fazer, por exemplo, com que o visitante conheça mais sobre um determinado serviço, comece a seguir as redes sociais do escritório ou leia algo importante. 

Landing page de eventos

Esse tipo de landing page é menos comum no ramo da advocacia. Ela serve para atrair uma pessoa para um determinado evento, que pode ser uma aula, um curso online, um workshop, masterclass, dentre outros. 

Nela, você pode colocar informações relacionadas ao instrutor, horário do evento, temas que serão abordados, profissionais envolvidos, programação, dentre outros. Além disso, você pode explicar os benefícios do evento e como ele pode auxiliar a sua audiência. 

Na advocacia, essa página pode ser utilizada, por exemplo, para atrair os visitantes do seu site de modo que assistam uma live no YouTube sobre um determinado tema importante ou uma aula sobre um assunto que gera dúvidas no seu público. 

Landing page de vendas

As landing pages de vendas tem como principal objetivo, fazer o visitante comprar. Esse tipo de página é muito comum para a venda de produtos, sejam eles físicos ou digitais. 

Nela, pode ser incluída todas as informações que as pessoas precisam saber sobre o produto ou serviço, as vantagens de adquiri-lo, como funciona, dentre outras que sejam relevantes para fazê-las comprar. 

Muitas páginas de vendas são longas, mas não é obrigatório que elas sejam assim. Isso significa que você pode incluir apenas o suficiente para fazer com que o leitor veja os benefícios, tire as suas dúvidas, veja que funciona e adquira o produto. 

No ramo da advocacia, você não fará landing pages para vender produtos. Contudo, pode fazer esse tipo de página para tentar vender algum serviço jurídico, fazendo com que o leitor se interesse e entre em contato para saber mais informações sobre o serviço, o custo e lhe contrate.

Mas, será que isso é permitido pelo Código de Ética?

Como são amplamente utilizadas para levar o consumidor a adquirir um determinado serviço ou produto, muitos advogados podem acreditar que fazer landing pages pode ser contra o que o Código de Ética determina. 

De fato, ao analisar páginas de aterrissagem de diversos nichos e produtos, existem vários aspectos que, se utilizados no marketing jurídico, podem causar problemas com a OAB. 

Contudo, se respeitar os preceitos determinados, ela é totalmente permitida. As landing pages podem ser utilizadas para diversos fins, inclusive atrair pessoas e fazê-las entrar em contato para saber mais sobre um determinado serviço.

Se você tem dúvidas sobre as normas para a publicidade na advocacia, aproveite e confira a live do #FomedeSaber sobre o tema!

Quais são as vantagens de ter uma landing page?

As landing pages podem ser muito vantajosas para uma estratégia de marketing jurídico. Veja abaixo algumas considerações!

Ajuda no lead scoring

O lead scoring é uma maneira de entender quais são os contatos adquiridos (leads) que têm mais chances de se tornarem clientes do escritório. 

Por exemplo, se o seu visitante baixou um material gratuito sobre como elaborar um planejamento tributário (fundo de funil), pode ser que ele esteja mais próximo de lhe contratar do que o usuário que baixou um ebook sobre o que é o planejamento tributário (topo de funil). 

Desse modo, você consegue passar informações valiosas para o setor comercial do escritório, que saberá como tratar cada uma desses leads

Contribui para segmentar os contatos

Dependendo das informações que você solicita e que o usuário lhe oferece, você pode segmentar os contatos. Por exemplo, imagine que você atue na área previdenciária e ofereça mais de um serviço, o que é perfeitamente comum. 

Por meio de informações como: profissão, se trabalha e motivo de ter lido um determinado conteúdo, por exemplo, você pode separar essas pessoas pelo tipo de serviço que elas procuram. 

Maior conversão

Por fim, a landing page pode trazer diversos contatos que podem ser convertidos em clientes. Desse modo, a cartela de clientes aumenta e assim, o lucro também. 

Como criar uma landing page? Veja abaixo

Uma landing page jurídica não pode ser igual ou se assemelhar às que tem como objetivo vender produtos ou serviços em outras áreas do conhecimento. 

Para explicar como fazer uma LP, imagine que você queira atrair mais pessoas interessadas em contratar um planejamento sucessório. 

Você já tem artigos completos e ricos em informação sobre o tema no blog do escritório, mas acredita que eles não estão convertendo os seus visitantes em potenciais clientes.

Sendo assim, veja abaixo como você pode fazer uma LP simples que possa fazer com que esses usuários entrem em contato para saber mais sobre o serviço!

1.Título e subtítulo

Faça um título e subtítulo que chame a atenção e faça o leitor querer continuar a leitura da sua página. 

Poderia ser algo assim, por exemplo: 

Tem medo de que os seus sucessores tenham prejuízos e problemas na hora de receber a herança? 

O planejamento sucessório pode ser a solução. 

2. Piore o problema

Nesse momento, você precisa deixar o leitor ainda mais preocupado com a situação, dando ainda mais visibilidade para o problema e como pode ser perigoso não solucioná-lo. 

No caso exemplificativo, você pode abordar problemas financeiros e familiares que podem aparecer no momento de organizar a herança que será deixada pelo leitor, dentre outros que costumam preocupar o público que procura por esse serviço.

3. Apresente a solução

Após explicar os problemas que podem surgir e os riscos de não resolvê-los com antecedência, você deve apresentar a solução, que no exemplo deste artigo, é o planejamento sucessório.

Explique o que é esse serviço, para que serve, como ele é oferecido, quais as vantagens e dê motivos para a pessoa realizá-lo, que pode ser, por exemplo: promover bem-estar familiar, impedir prejuízos, trazer segurança, dentre outros.

4.Demonstre quem vai realizar o serviço

Nesse momento, você pode se apresentar, dizer a sua formação, tempo de atuação na área e dizer os diferenciais do seu escritório. 

5. Ressalte os benefícios

Nesse momento, você vai ressaltar a transformação que o serviço proporcionará ao leitor. 

6. Chame para a ação

A etapa seguinte da sua landing page é dizer para o cliente entrar em contato para saber sobre o preço do serviço e como funciona a contratação.

Lembre-se que na advocacia, você não pode mercantilizar e nem oferecer o serviço jurídico da mesma maneira que empresas e profissionais oferecem um produto. Desse modo, você não pode dizer o preço e nem fazer uma oferta, dizendo que, se contratar agora mesmo, o serviço custará um valor menor. 

7. Dê um aviso 

Por fim, você pode dar um aviso, deixando-o ciente do que ele pode perder se não realizar o serviço. Essa parte serve para fazer o usuário entrar em contato com o escritório. 

A LP, na advocacia, deve ser mais simples, visto que mercantilizar a profissão é totalmente vedado. Sendo assim, muito do que se encontra em LPs de produtos ou serviços de outras áreas do conhecimento, não pode ser utilizado aqui.

Um exemplo de página de apresentação de serviço jurídico muito interessante, que pode funcionar como uma LP, é a do Escritório Carbonera & Tomazini. Eles possuem no site deles uma página para atrair possíveis clientes para o planejamento previdenciário.   

O que fazer depois?

Verifique os resultados trazidos pela sua landing page. Lembre-se de fazê-la após conhecer e coletar informações sobre a persona que a página deseja atrair. 

Caso os resultados não estejam sendo satisfatórios, você pode alterá-la para ver se melhora. Tudo é questão de teste e você provavelmente terá que fazer diversos. 

É importante que cada página de aterrissagem seja feita para oferecer um único serviço. Sendo assim, você pode elaborar uma página para atrair pessoas que desejam contratar o serviço que seja carro chefe do escritório ou então, fazer várias landing pages diferentes para cada serviço.

Ademais, tenha em mente o público para quem você deseja vender. Sempre pense nas dores e desejos da persona do seu escritório ou do serviço em específico que quer oferecer. Não adianta tentar vender para todos.

Por fim, lembre-se que a landing page faz as pessoas chegarem até o escritório. Contudo, é você quem deve transformá-los em clientes. Logo, tenha uma estratégia de vendas para fazê-las fechar um contrato. 

Ter uma landing page jurídica pode ser muito vantajoso para aumentar a quantidade de contatos que o escritório recebe. Poucos escritórios realmente utilizam essa estratégia. Se você quiser se diferenciar, escolha o serviço (ou os serviços) que você deseja atrair mais clientes e faça a sua página o quanto antes! 

E se você gostou desse artigo, confira agora como transformar seguidores em clientes no Instagram! 

TRIAL
Autor
Comunicação & Conteúdos

Equipe ADVBOX