fbpx

Sair do formato de advocacia autônoma e montar um time é um grande passo para o crescimento. Realizar uma gestão de equipe jurídica que caminhe em direção ao sucesso poderá, muitas vezes, ser um desafio.

Equipe reunida em sala de reunião, representa a boa gestão de equipe jurídica

Normalmente, ao dar esse passo, o advogado busca pessoas qualificadas para oferecer um serviço de qualidade para seus clientes.

Na advocacia é preciso sempre se preocupar com a qualidade da produção jurídica e com a alta performance. Isso porque esses itens são a base para um alto índice de procedência nas ações e clientes satisfeitos.

Porém, quando se tem uma equipe altamente qualificada, surge um problema: a necessidade de reter talentos.

Formar uma equipe, treinar e qualificar demanda investimento de tempo e, às vezes, de dinheiro. E depois de ter os profissionais alinhados, ninguém deseja que algum deles saia da equipe.

Retenção de talentos em gestão de equipe jurídica

Isso traria um desalinhamento no processo de produção e seria necessário refazer tudo para contratar alguém novo. Isso sem falar do risco de a pessoa que saiu da equipe se tornar um forte concorrente.

Sem falar que, muitas vezes, a saída de alguém da equipe do escritório é triste. Com o tempo se pode criar uma grande amizade com esta pessoa.

Então quais são os motivos para que alguém queira sair da equipe de um escritório?

Entre os principais estão a falta de motivação, falta de reconhecimento, não ser remunerado de acordo com o próprio trabalho e não trabalhar em um ambiente agradável. Situações injustas e que geram desentendimentos também são fortes motivadoras para a saída de alguém.

Imagine duas pessoas trabalhando no mesmo escritório de advocacia. Uma delas está sempre sentada à frente de computador, com vários processos em cima da mesa para análise. A outra, volta e meia, está no cafezinho conversando com os colegas ou circulando pela sala.

Numa primeira impressão, o gestor do escritório provavelmente pensaria que a primeira está trabalhando mais do que a segunda.

Se o gestor não tiver como medir a produtividade dos dois colaboradores, pode vir a cometer uma grande injustiça.

Medir produtividade traz transparência

E se o que está sentado ao computador estiver o dia inteiro procrastinando o trabalho e olhando suas próprias redes sociais, enquanto o que vai ao cafezinho tiver produzido tudo o que tinha para fazer em pouco tempo e precisou levantar para desopilar um pouco? Cobrar trabalho do que foi ao cafezinho não seria injusto?

Ou mesmo se a primeira impressão estiver correta e ambos receberem a mesma remuneração, sendo que o que fica ao computador está sobrecarregado e o outro sem produzir nada? Não seria, igualmente, injusto?

É por isso que possuir formas de gerenciar a produtividade em um escritório de advocacia é tão importante.

Além de evitar injustiças, é uma ótima maneira de manter a “máquina” em funcionamento pleno. Mais do que isso, você poderá proporcionar gratificações aos colaboradores merecedores.

Para ajudar a fazer essa gestão de equipe jurídica e de produtividade, já existem ferramentas digitais com o controle necessário. Com a ferramenta correta, basta que ter bem desenhado o fluxograma de trabalho do escritório e pontuar essas tarefas.

Gestão por tarefas e pontuação

À medida que os colaboradores cumprirem tarefas, o valor delas será somado a um total de pontos. Assim, é possível saber efetivamente quanto cada um produziu.

Além disso, é possível definir até mesmo metas de produção que, caso sejam atingidas, podem gerar algum tipo de gratificação. Isso pode ditar o ritmo de produção do escritório e, ao mesmo tempo, permitir que pessoas da equipe sejam gratificadas e reconhecidas por seus esforços.

Outra coisa que bons sistemas permitem nesse sentido, é verificar se as tarefas de todos os colaboradores estão sendo cumpridas dentro do prazo determinado ou se estão atrasadas. Em um escritório de advocacia, o cuidado com os prazos é essencial, e esse tipo de controle é de extrema relevância para um gestor zeloso.

Home office e flexibilização de horários

Com o uso avançado deste método, é possível ainda a implantação de home office no escritório ou flexibilização dos horários, uma vez que a produtividade não será medida pelo tempo trabalhado, e sim pela quantidade de tarefas cumpridas.

A verdade é que ter um bom software jurídico, combinado com conhecimento em gestão, é o ideal para quem deseja, simultaneamente, evitar a perda de talentos na equipe, melhorar a qualidade de vida de todos os colaboradores, não cometer injustiças, otimizar o processo produtivo do escritório e manter a qualidade do trabalho desenvolvido.

É uma medida simples de ser tomada, mas desconhecida por muitos gestores de escritórios de advocacia, que acaba com uma série de problemas conhecidos por muitos.

Quando adotada, traz equilíbrio e bom senso para o ambiente de trabalho, necessários para o desenvolvimento e sucesso do negócio. Acaba com a falta de motivação, já que permite reconhecer quem realmente faz a diferença na equipe e quem se esforça; quando combinada com gratificações, beneficia e remunera de forma equivalente a pessoa que tiver produzido mais.

E, ainda, gera um ambiente de trabalho agradável e saudável, já que evita injustiças e até mesmo desentendimentos entre colegas de trabalho ou entre o gestor e um colaborador, permitindo que relações de amizade e profissionalismo coexistam.

Banner para clicar e fazer donwload gratuito do e-book sobre gameficação na advocacia


Eduardo Koetz

CEO da ADVBOX . Advogado e Professor de Direito Previdenciário Internacional e Empreendedorismo na Advocacia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *