Tempo de leitura 2 Minutos

O home office é uma forma de trabalho que vem crescendo a cada dia, atingindo várias áreas de atuação. No caso de escritórios de advocacia, seria viável com o uso de um bom software jurídico. Segundo levantamentos da Global Workplace Analytics, só no Brasil, 26% da população ativa situa-se nessa nova realidade de trabalho que oferece uma série de benefícios, tanto para o contratante quanto para o contratado.

A imagem mostra uma mesa e uma cadeira em uma casa, próximos a um jardim com diversos vasos de plantas pequenas. Sobre a mesa, um notebook onde a tela exibe o software jurídico Advbox

Muitos advogados também entraram nessa novidade, passando a realizar serviços jurídicos à distância para escritórios interessados. Se você é advogado gestor ou advogado autônomo e tem interesse em implementar o home office, é preciso ter um software jurídico de gestão capaz de digitalizar os meios de trabalho do seu escritório para que o trabalho a distância possa ser realizado adequadamente.

Falaremos aqui importantes critérios para escolher um software jurídico que possibilite o trabalho em home office.

1.Escritório acessível em qualquer lugar (incluindo home office)

Para a existir a possibilidade de trabalho a distância, é preciso ter acesso aos documentos do escritório pelo computador. Portanto, a digitalização dos arquivos de documentos do escritório e dos dados financeiros precisa ser feita o mais integralmente possível. Caso contrário, os advogados não terão como trabalhar nos processos dos clientes e a gestão financeira terá que ser realizada na sede do escritório.

Na hora de escolher um software jurídico, procure um sistema que ofereça armazenamento na nuvem e/ou gestão eletrônica de documentos. Assim, os funcionários terão todo aparato necessário para a realização de suas tarefas em home office ou em qualquer lugar que estejam atuando remotamente.

2.Baixo custo para cadastros de mais usuários

Cadastrar uma equipe de um escritório em um software jurídico com um plano pago que cobra caro por cadastros adicionais com certeza vai gerar uma despesa indesejável. Mais do que isso, uma despesa desnecessária. Procurar por esse custo benefício evita gastos e permite a implementação do home office sem investimentos altos.

Além disso, a lei exige que a remuneração no trabalho remoto seja feita por tarefa individual, o que não é possível de fazer quando os advogados dividem o mesmo perfil no sistema. Também vale ressaltar que baixos preços não devem ser a única consideração na hora de escolher um software jurídico de gestão para o seu escritório, sendo necessário visar sempre a qualidade do produto.

3.Software Jurídico e gestão de Produtividade

 

Para ter um trabalho adequado de gestão da equipe em home office, o ideal é utilizar um software de gestão com ferramentas de análise e controle da produtividade. A gestão por tarefas é a maneira mais eficiente de fazer isso, sendo necessário nesse caso um software jurídico que apresente os resultados da produção de cada membro da equipe para análise e acompanhamento mensal.

No caso do home office, é preciso ter um cuidado na gestão para manter os mesmos resultados que se obtém no trabalho presencial.  Assim, se houver quaisquer problemas de produtividade em algum setor, fica muito mais fácil de identificar.

No caso de escritórios de advocacia, é importante a adoção de um software especificamente jurídico, que além de fazer a gestão geral possua recursos automatizados de acompanhamento de processos e contato com clientes.


Katiussa Bitencourt

É  jornalista formada pela UNISINOS,Pós graduada em Marketing Digital e especialista em marketing jurídico e político. Sendo head das consultorias de marketing digital da ADVBOX e premiada com a Equipe ADVBOX Consultorias como Agência de Resultados  2018 pela Resultados Digitais.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

[Infográfico]
[Infográfico]
[Ebook Gratuito]
[Ebook Gratuito]